A analise socioespacial sobre os ambientes urbanos da Amazônia Legal, busca contribuir com os processos de elaboração e/ou revisões de Planos Diretor nas cidades de Belém (Pará), Manaus (Amazonas), Macapá (Amapá), São Luís (Maranhão) e Rio Branco (Acre), no que se refere à promoção de políticas publicas de combate as Mudanças Climáticas em espaços estruturados historicamente pelas desigualdades raciais, étnica, de gênero e sociais. Cabendo aos municípios estruturar ações que alcance da Agenda Global do Clima e efetivação dos compromissos dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Rio Branco

saiba mais

Belém

saiba mais

Manaus

saiba mais

Macapá

saiba mais

São Luís

saiba mais

Estudos sobre Mudanças Climáticas no contexto da Amazônia Legal se apresentam em duas escalas: a primeira, pela globalização da floresta capital natural; e, a segunda, nacional, isto é, a floresta para crescimento econômico. Nessa construção, a Amazônia Legal Urbana é invisibilizada em segregação socioespacial, assim como o lugar de vida da maioria da população, impactada em ocupações insalubres, sem rendimentos, com má qualidade da água, insegurança alimentar, com má qualidade do ar e vulnerável aos eventos climáticos extremos. Essa é a nossa base de análise diante da crise climática.

Pesquisadoras

O que está acontecendo na Amazônia Urbana

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil